ALTERAÇÃO DO ENDEREÇO

domingo, 18 de abril de 2010

-" O «Efeito» Maitê Proença ou...

Miguel Sousa Tavares em todo o seu esplendor ! ...

Não há dúvida que o velho ditado "diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és" é de aplicação universal.
Eu tinha uma certa admiração pelo autor de "Equador" que ficou um pouco abalada quando ele assumiu a defesa daquele vegetal brasileiro que veio a Portugal pavonear a sua ignorância; não pelo facto de o ter defendido porque um cavalheiro deve defender sempre uma mulher, mesmo ignorante, mas pelos argumentos utilizados.
Qualquer um menos avisado poderia pensar que teria havido, possívelmente, uma falta momentânea de inspiraçao ou recorrido à justificação de que a paixão torna os homens idiotas, mas quem tem acompanhado o trajeto jornalistico e televisivo de Miguel Sousa Tavares está habituado a tudo !
Por isso, as afirmações feitas no vídeo que se segue não irão surpreender muita gente.
Mesmo assim, os argumentos utilizados são tão anémicos e tão desprovidos de sentido que chegam a raiar o ridículo.

video

No vídeo qu acabamos de ver, a reportagem está aceitável mas os comentários do apresentador merecem ser premiados com alguns adjetivos :

Primitivo
- quando se refere ao AO entre Portugal e o Brasil e "umas quantas Nações falantes de português";
- quando diz que passaremos a falar português e a escrever "brasileiro" (termo pouco digno de um escritor; ou será que ele desconhece que a língua que se fala no Brasil é o Português ? )

Fundamentalista
- quando agita a bandeira do "país matriz da Língua" (com que direito, se matricialmente somos o mesmo povo ?...). Será por Portugal a ter alterado, várias vezes, e os brasileiros serem mais genuínos e utilizarem termos que em Portugal já se esqueceram ?...

Retrógrado
- quando afirma não ver nenhuma vantagem no AO ! Eu sinto grande dose de vergonha quando, em fóruns internacionais, se redigem relatórios e conclusões em português do Brasil e em português de Portugal.

Faccioso ( com dois "c" conforme o AO )
- quando diz que os brasileiros não precisam do "c" para nada ; e os portugueses precisam ? ...
Todos sabemos que as consoantes mudas existem para abrirem as vogais que as precedem mas também sabemos que isso pode ser obtido por convenção
.

Corporativista
- não será que ele está a defender os interesses dos editores ?... Será ? ...

A cereja no topo do bolo (claro que não é adjetivo)
- a confusão que ele faz com a eliminação ou manutenção das consoantes mudas (demonstra ter autoridade para criticar ! ...).
É, exatamente, o contrário do que ele afirma : tanto de um lado do Atlântico, como do outro, só desaparecerão as consoantes mudas. As que se pronunciam continuarão a existir mesmo que desapareçam do outro lado do Atlântico.

Finalmente, dentro de algum tempo, a minha impressora deixará de anunciar que "a impressão foi iniciada" (em português do Brasil) e que "a impressão começou" (em português de Portugal).

Mas. para dissipar dúvidas, em seguida, irei publicar uma Norma simplificada do AO .

2 comentários:

Barbara disse...

Vocês estão dando a ela o que ela quer - mídia.

Arnaldo Norton disse...

Amiga Bárbara, seja bem-vinda !
Leia o resto do artigo porque quando Vc o leu ele estava a ser publicado.
Gostaria que me desse a sua opinião.
Um beijo.